segunda-feira, 3 de outubro de 2016

GUIGA: UM NOVO PREFEITO NOVO.

NOVO PREFEITO NÃO TERÁ DIFICULDADES EM LIDAR COM A CÂMARA.

Foto: Divulgação (PSDB- Vicência)

Em 2002, o "filho do Dr. Guilherme" saía às ruas em um bloco de Carnaval com o slogan: "ado, ado, ado, Guiga 2004". Naquela ocasião, com 22 anos, o "menino" pensava em ocupar uma cadeira na Câmara Municipal. A pré-candidatura não evoluiu e a vida seguiu seu rumo. Quatorze anos depois, o desejo de ocupar um mandato se concretiza, não para um assento na Casa Mário Ramos de Andrade Lima, mas para tomar conta da cadeira principal do prédio amarelo e rosa (por enquanto) na Manoel Borba.

Guilherme de Albuquerque Melo Nunes, nasceu em Recife, tem 35 anos e é membro de uma família tradicional na cidade e no estado. Seu avô, Benedito Nunes Pereira, foi vereador por dois mandatos e presidente da Câmara; seu tio, Francisco Ernesto (Mano), foi vereador e candidato a prefeito nos anos 80 e o seu pai foi vice-prefeito por oito anos na administração da ex-prefeita Eva Maria (1997-2004). Apesar de ter nascido na capital pernambucana, Guiga passou a infância e parte da adolescência em Vicência, onde foi aluno da Escola Dr. Joaquim Correia (CERu.) A família Nunes Pereira ainda é conhecida no estado no setor empresarial através de diversas concessionárias de automóveis, dentre as quais de destaca a Caxangá Veículos.

Como era apregoado na campanha, a diferença foi enorme. Foram 7.889 votos. Mais do que o triplo conseguido pelo prefeito Paulo Tadeu contra Mario Ramos em 2012. No início da pré-campanha, Guiga se apresentava como uma terceira via, ainda quando o vice-prefeito, Dija, se apresentava como eventual candidato da situação. Naquela época houve um desentendimento dos aliados do prefeito Paulo Tadeu (PSB) e apareceram quatro postulantes ao cargo majoritário: Dija (Que já cortara relações), Tita Jerônimo, Carlos Wilson e o vereador Bidoga. O prefeito resolveu fazer um sorteio para definir seu candidato, ou melhor, sua candidata. O nome da secretária de Assistência social, Tita Jerônimo, não decolou e o pleito se polarizou entre o tucano e o atual vice-prefeito.

A princípio Guiga se apresentou como "filho de Dr. Guilherme", principalmente para refrescar a lembrança dos eleitores mais experientes, que conheciam o médico nos quatro cantos da cidade. A atuação de Dr. Guilherme como médico foi fundamental para que o filho se tornasse conhecido no município e como o candidato já estava em evidência desde 2002, foi só manter o foco. Vale salientar que as fragilidades da atual gestão também contribuiu para a vitória do novel prefeito.

Assim como a diferença, os desafios também são enormes. Guiga terá o compromisso de não desapontar os 12.396 eleitores que acreditaram na mudança. Em entrevista à Rádio Vicência FM, o prefeito eleito divulgou o nome do professor João Costa como eventual secretário.

Nos poucos discursos que tivemos oportunidade de escutar durante o período eleitoral, notava-se consistência e altivez na fala do então candidato. Aos mais chegados ele já avisou que não irá admitir interferências em seu governo. No tocante à Câmara não haverá dificuldades. Dos treze vereadores eleitos apenas dois podem ser considerados como uma oposição mais ferrenha: Neto de Dija e Samuel da Banana. Portanto a maioria absoluta da Casa Mário Ramos estará disposta a apoiá-lo.

Os próximos passos serão a festa da vitória, a diplomação e finalmente a posse.

Quem viver, verá. Ou sim...




0 comentários:

Postar um comentário

LEIA AGORA NO VICENCIANET.
Todo mundo gosta. Todo o mundo acessa.