sexta-feira, 26 de agosto de 2016

EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO FOI DESTAQUE NO ENCONTRO NACIONAL DO DETRANS.

Colaboração: Jô Lima 
 Foto: Paulo Maciel
Foi encerrado hoje, 26, o 54º Encontro Nacional dos Detrans, tendo a educação para o trânsito o grande destaque entre os assuntos debatidos pelos diretores dos órgãos. Dentre as pautas discutidas, o diretor do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Elmer Coelho Vicenzi, enfatizou que o departamento criou o portal Edutran, onde serão disponibilizados materiais, campanhas e atividades educativas.

Na oportunidade Charles Ribeiro, diretor presidente do Detran-PE, apresentou as ações educativas realizadas pelo órgão pernambucano, mostrando a presença da Turma do Fom Fom e dos técnicos de educação para o trânsito, destacando as Blitz Educativa, Detran nos Municípios, Maio Amarelo,  entre outras.
“Atendendo determinação do governador Paulo Câmara, estamos investindo ainda mais na área educativa e ampliando as atividades para todo o estado. Com esse trabalho, ano a ano conseguimos reduzir os índices de acidentes e consequentemente os custos com tratamentos médicos nos hospitais públicos”, disse Ribeiro.
Além desse tema, os diretores dos 27 estados brasileiros discutiram outros assuntos, a exemplo do cenário nacional da implantação de simuladores de direção veicular (problemas e estratégias); estratégias para aplicação da Lei 12.977 e Resolução 530, sobre a desmontagem de veículos; placas do Mercosul; resoluções internas. 

O evento foi promovido pela Associação Nacional dos DETRANS (AND), entre os dias 24 e 26 de agosto, no Hotel Grand Mercure Summerville, na Praia de Muro Alto – Ipojuca.

GUIAS ELEITORAIS ESTREIAM NA PROGRAMAÇÃO DA VICÊNCIA FM. (Por dez minutos me senti na Finlândia...)

COLIGAÇÕES INICIARAM PROGRAMAS NA BASE DO PAZ E AMOR. CLIMA DEVE ESQUENTAR NOS PRÓXIMOS DIAS.

Imagem da Internet

Se os guias eleitorais continuassem a ser produzidos e apresentados da forma como foram no dia de hoje, certamente o público não iria gostar e a audiência não seria tão boa. O incrível é que as três coligações agiram de forma correta, coerente e respeitosa, tanto uma para com a outra como para com o eleitor. 

Mas essa tranquilidade não deve durar muito tempo. Daqui a poucos dias o clima promete esquentar. Os produtores dos programas dos candidatos deixarão de lado a política da Boa Vizinhança e começarão a se digladiarem (como muitos eleitores já estão fazendo nas Redes Sociais). Para isto basta apenas um lado iniciar a provocação e o espaço destinado para o candidato (ou candidata) apresentar suas propostas vai para o beleléu.

Mas essa é a graça da política. É o que o eleitor quer ver ( e ouvir): dedo no olho, xingamentos, agressões, esculhambações, o escambau.

Enquanto os principais candidatos estão preocupados com os acordo$, seus seguidores querem não apenas ganhar as eleições, mas massacrar, humilhar e ,se tiverem oportunidade, eliminar de vez seus adversários que, neste período, se tornam inimigos de ferro a fogo.

"As pessoas boas devem amar seus semelhantes..." Só se for depois da política, prezados moradores da Vila do Chaves...

sábado, 20 de agosto de 2016

HAMILTON CORREIA: VICÊNCIA PRESENTE NO OURO OLÍMPICO DA SELEÇÃO.

BANDEIRA DE VICÊNCIA: AS CORES QUE FALTAVAM.

Desde a primeira passagem de Alexandre Gallo pelo Clube Náutico Capibaribe, que o vicenciano Hamilton Correia caiu nas graças do treinador. quando o então comandante alvirrubro foi convidado para assumir a seleção olímpica levou consigo o representante da Princesa do Vale do Sirigi. O tempo passou, Gallo saiu e Hamilton ficou.

Responsável por toda logística da Seleção Olímpica, o jovem vicenciano chamou a atenção do mundo ao levar a bandeira de Vicência para completar as cores do pavilhão nacional. 

Faltava o ouro olímpico no futebol. Não falta mais.

Faltavam as cores azul e branca na festa brasileira. Graças a Hamilton Correia, não faltam mais...


quarta-feira, 10 de agosto de 2016

IMPOSTO MAIOR DA GASOLINA PODE ALAVANCAR SETOR DE FABRICAÇÃO DE ENTANOL.

O reajuste do tributo foi pedido ontem pela Feplana ao ministro de Minas e Energia. Além de bilhões em investimento no setor, a competitividade do etanol brasileiro promoverá o aumento de milhares de emprego e contribuirá para o Brasil atender as metas ambientais postas na COP21.



Contribuição: Robério Coutinho (AFCP)
Foto: Reprodução

O governo do presidente interino Michel Temer estuda aumentar a Cide, tributo que incide sobre os combustíveis. Porém, não há nada definido, apesar do preço  artificial da gasolina por vários anos no governo Dilma Rousseff, já que a Petrobras importava o combustível fóssil mais caro e vendia mais barato no País. Fato este que promoveu uma concorrência desleal com o etanol a base de cana de açúcar, impactando esta cadeia produtiva brasileira, o que gerou a maior crise do setor sucroenergético. A fim de reverter esta situação e voltar a movimentar bilhões adicionais na economia com a retomada do incremento do etanol na matriz energética, com efeitos na geração de emprego e renda, o presidente da Federação dos Plantadores de Cana do Brasil (Feplana), Alexandre Andrade Lima, reuniu-se com membros do governo e o ministro de Minas e Energias, Fernando Filho. A reunião foi realizada em Brasília nesta terça-feira (9).

A Feplana defendeu o reajuste da Cide da gasolina e a aplicação de um critério ambiental onde taxa o combustível a partir do seu teor poluente. O ministro ficou de se reunir com a equipe econômica do governo para avaliar a viabilidade da medida, bem como de outros pleitos do setor. "O aumento do tributo é uma forma de garantir a justa competitividade do etanol, já que o governo congelou por anos o preço da gasolina"disse Andrade Lima.

O líder dos canavieiros do Brasil também ressaltou a importância da medida para a ampliação do consumo do combustível a base de cana - uma matéria prima renovável, limpa e sustentável. Com isso, haverá grande movimentação financeira com positivos reflexos na economia. O dirigente lembrou que mais de US$ 40 bilhões poderá ser investido pelo setor para atender a demanda dos consumidores, além de todos os benefícios a ser gerados com milhares de novos empregos. A iniciativa ainda ajuda com o país a cumprir sua meta posta na COP 21.


A questão ambiental também foi frisada pela Feplana durante a reunião com o ministro ao defender a adoção de critérios graduais para a taxação da Cide sobre os combustíveis a partir do seu teor de poluição. Paulo Leal,vice-presidente da entidade canavieira, defendeu o proposta de transformar a Cide em um Gren Tax já existente em alguns países. A 'taxa verde' consiste em beneficiar combustíveis renováveis e taxar mais os poluentes.

O dirigente aproveitou para lembrar ao ministro que 80 usinas fecharam nos últimos anos e mais de 80 estão em recuperação judicial. Além de Leal e Lima, a reunião com Fernando Filho contou com a participação do diretor da Feplana, Murilo Paraíso, do presidente da Sindicato dos Cultivadores de Cana de PE, Gerson Carneiro Leão, do deputado federal André Amaral (PMDB/PB) e do secretário nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, Marcio Felix. 

Cooperativas e BR Distribuidora

Andrade Lima ainda tratou com o ministro de Minas e Energias sobre a liberação da comercialização de etanol de cooperativas de canavieiros do Nordeste com a Distribuidora BR, empresa vinculada à Petrobras. O dirigente solicitou ação ministerial para destravar a proibição descabida da venda de etanol da cooperativa que administra a Usina Cruangi em Pernambuco à Distribuidora. A estatal bloqueou a negociação por conta de pendências dos donos da usina,mesmo sem haver nenhum passivo da Cooperativa formada por agricultores.

"Enquanto o governo pernambucano estimula o cooperativismo, até com a elevação do crédito presumido do ICMS do etanol produzido no local, a União, através da BR Distribuidora, está dificultando a retomada desta   importante atividade socioeconômica para a região, com esse bloqueio sem lógica", reclamou o dirigente. Lima solicita que o ministro de Minas e Energia revise esta injusta situação com o setor, de modo que permita a comercialização do etanol da cooperativa com a referida estatal, o que garantirá o restabelecimento de uma relação comercial normal, como já acontece entre a cooperativa com as demais companhias distribuidoras.

Área de anexos

RECURSO DO FUNDEF PODE SER PAGO AINDA ESTE ANO.

DEPARTAMENTO FINANCEIRO ALERTA SOBRE INFORMAÇÕES DESENCONTRADAS.

A expectativa é imensa. O assunto mais comentado pelos educadores vicencianos é o chamado "Fundão". Um recurso pendente, do Governo Federal, relativo à mudança do FUNDEF para FUNDEB. Têm direito a receber os proventos os professores que estavam lecionando entre 2001 e 2006. O valor aproximado para o município de Vicência seria de 19 milhões. Destes, 60% deve ser rateado com os educadores e o restante poderá ser usado pela prefeitura para qualquer outro fim.

Conversamos com um integrante do departamento financeiro da Prefeitura Municipal de Vicência, que confirmou a veracidade do recurso e seu provável pagamento até o final deste ano. "Tudo depende da boa vontade do governo federal liberar o dinheiro. Ele realmente existe e não há mais para onde recorrer", informou o interlocutor. Ainda, segundo ele, prever qualquer data para um eventual pagamento é arriscado, mas espera que até o final do ano o dinheiro esteja à disposição da categoria. Esta semana um representante do governo municipal estará em Brasília para adiantar o processo.

Na última segunda-feira (08) o SINPRO-PE realizou uma assembleia com os professores na qual foi falado sobre o assunto.

domingo, 7 de agosto de 2016

VICÊNCIA, ELEIÇÕES 2016: FATOS, VERSÕES E ALGO MAIS.

A OMBRIDADE DE RECUAR NA HORA CERTA

Por Samuel Cazumbá
Fotos: Divulgação

Nada é mais vulnerável do que a dinâmica política. E quando se trata da política de interior, a disputa se torna ainda mais acirrada. Fatos inéditos têm acontecido neste período pré-eleitoral em Vicência. Um deles é a retirada de uma chapa já definida e o apoio a outro grupo (Em 1987 o então candidato Paulo Tadeu, na época filiado ao PDT, abdicou da candidatura, todavia no decorrer da campanha).

O Próprio prefeito Paulo Tadeu afirma que “a política é como uma Roda Gigante”. Há um entendimento dúbio na afirmação do gestor. Primeiro há momentos nos quais os parlamentares estão por cima e, em um único giro, veem-se no último estágio, com os pés muito próximos do chão. Em segundo lugar, as pessoas podem subir acompanhadas por um amigo e descer abraçados a um adversário.

A socialista Tita Jerônimo é a personificação da experiência no âmbito político. Veio de origem humilde, como faz questão de mencionar, quando é convidada para falar sobre suas raízes. O apanhar capim e a lata d’água na cabeça não foram empecilhos para alcançar os seus ideais. Começou a lecionar muito jovem e assumiu a Secretaria de Educação entre 1988 e 1991, durante a gestão do então prefeito Mário Ramos. Um câncer a fez repensar sobre a vida, afirma ela. Humanizou-se mais e passou a se sentir útil para a família, a escola e a sociedade.

Dona Tita, como é conhecida na cidade, foi peça fundamental para a eleição e reeleição do prefeito Paulo Tadeu. Foi à luta como poucos e conseguiu os louros da vitória. Também auxiliou na campanha e administração do ex-prefeito Zezinho Tinin (2005-2008).

Secretariando a pasta da Assistência Social no atual governo, talvez nunca tivesse passado pela sua cabeça, ser lançada como pré-candidata à prefeita do município. Não passou, até determinado momento. Porque várias vezes o gestor deixou claro quem seria sua pretensa sucessora. O fato é que Dr. Paulo disse ter feito uma enquete na qual colocou vários nomes para que a população indicasse quem deveria ocupar o seu lugar. No final sobraram apenas ela, o vereador Bidoga e o jovem advogado Carlos Wilson. Enfim, o prefeito reuniu a imprensa local e anunciou Tita Jerônimo como pré-candidata e em seguida, Carlos Wilson, vice.

Homônimo de um influente político pernambucano, Carlos Wilson tem correndo nas veias o sangue da política. Neto do ex-vice-prefeito e ex-vereador Luiz Carlos Vieira de Vasconcelos, o mais novo integrante do PTB, iniciou sua carreira política ainda na adolescência, durante o Ensino Médio. Sempre se mostrou interessado pelas conversas que envolvessem os personagens políticos e suas peripécias.

Wilson foi candidato a vereador em 2008 e, por cinco votos, não ocupou uma cadeira na Casa Mário Ramos de Andrade Lima. Em 2010, juntamente com o vereador Jânio, conseguiu uma votação extraordinária para Cássia do Moinho, candidata a deputada estadual, naquele ano. Carlos Wilson não saiu da cena política. Integrou-se ao grupo do prefeito Paulo Tadeu e passou a acompanhá-lo nos eventos, conseguindo assim certo destaque.

Com a juventude jogando a seu favor, Carlos Wilson pode ter um futuro promissor e por em prática um desejo seu revelado a este blogueiro, em um encontro casual na esquina da Rua Oliveira Estelita. Naquela ocasião, recém-saído do Ensino Médio e ingressando na Universidade de Direito, nos confidenciava que “estava partindo, mas após concluir os estudos voltaria para ser prefeito de Vicência.” Pode-se dizer que a previsão bateu na trave nas eleições deste ano.

A chapa dos sonhos do prefeito Paulo Tadeu acabou sendo sufocada por uma série de fatores internos e externos, restando apenas a união com o grupo político liderado pelo vice-prefeito, Dija (PSD). Foi um acontecimento que parou a cidade. Uma das mais demoradas articulações políticas da história, com direito até ao adiamento da convenção do PSB.


Finalmente, entre mortos e feridos, salvaram-se todos. Se hoje foi necessário, não dar um passo atrás, mas ceder a uma realidade pré-anunciada, o amanhã poderá ser mais promissor para ambas as partes. Talvez a variação de um texto bíblico se adeque à dupla, tema deste artigo, na qual, não seriam os humilhados, mas sim os humildes que serão exaltados...

sábado, 6 de agosto de 2016

O DESTINO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS NOS MUNICÍPIOS.

PARA ONDE VÃO?

Foto: Reprodução da Internet
Extraído de Orbe Político

A lei que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos (‪#‎PNRS‬) - cujo principal objetivo é a eliminação das formas de destinação e disposição final inadequada de resíduos sólidos e rejeitos - completou seis anos. ACNM - Confederação Nacional de Municípios disponibiliza um Observatório online que permite monitorar em todo o país o seu cumprimento no www.lixoes.cnm.org.br .
 Dentre as competências especificas estabelecidas pela lei, as dos municípios são: elaborar os Planos Municipais de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos; encerrar/remediar ‪#‎lixões‬ e ‪#‎aterros‬ controlados; implantar ‪#‎coletaseletiva‬ com inclusão social; e fazer compostagem. Mas, por que isso ainda não é uma realidade nos governos locais? Confira análise: http://t.co/cGkdGJtndM.