quinta-feira, 28 de maio de 2015

VÃO-SE OS AMIGOS...

AINDA NÃO APRENDEMOS A LIDAR COM A MORTE

Por Samuel Cazumbá

O homem é o único animal que tem cosnciência que um dia morrerá. Mesmo assim ainda não aprendemos a lidar com a "indesejada das gentes". Estamos até acostumados a assistirmos pessoas mais velhas partirem, mas quando o infortuino atinge alguém que (pensamos) não estava na lista dos morríveis, parece mais trágico ainda.

A própria vida faz com que as pessoas se separem. O cotidiano cheio de obrigações e o mundo cada vez mais competitivo nos torna robôs e escravos de nós mesmos. Tornamo-nos dependentes do tempo. Pouco tempo. E as pessoas vão ficando de lado. Aqui e acolá um encontro casual, um esbarrão, uma conversa ligeira, corrida, apressada... E o tempo anda, passa, voa, some. Some junto com a pessoa.

Cada um tem a sua maneira pessoal de agir em um momento como esse. Em que a dor supera toda e qualquer tenteiva de conforto e o chorar não basta. Falar (ou escrever) sobre a morte de um amigo não é para todo mundo. Trazer à mente as brincadeiras, o jogo de bola, os grupos de estudo em sala de aula, as reuniões para os trabalhos escolares, as confidências, as brigas, as intrigas e as pazes.

Certamente os momentos de alegria superarão as decepções. Então nada melhor do recordar aquele ou aquela que partiu relembrando os momentos felizes vividos conjuntamente. E assim deve ser. Claro que nada substituirá o vazio deixado por ela, mas teremos certeza absoluta que, durante a sua estada aqui na Terra, essa pessoa nos fez feliz, com sua amizade, seu companheirismo e sua dedicação.

Afinal a morte é sempre um momento de reflexão. Quando nos sentimos um trapo em meio à imensidão do universo. E é esse universo, repleto de mistérios, que recebe em sua quarta dimensão aqueles partiram no trem da vida e desembarcaram na última estação.

Dedicado a José Bento Ferreira Filho (foto). Um amigo, colega de classe e primo distante. Mais um, que parte prematuramente e nos deixa com uma sensação de perda que só o tempo poderá aplanar.

0 comentários:

Postar um comentário

LEIA AGORA NO VICENCIANET.
Todo mundo gosta. Todo o mundo acessa.