quarta-feira, 6 de maio de 2015

EM NOME DOS PAIS E DOS FILHOS



MODERNIDADE EXIGE PACIÊNCIA E MUITO "JOGO DE CINTURA"

Por Samuel Cazumbá

Se só de olhar você achar o texto um pouco longo, migre para outro blog. Entretanto, convido-lhe para uma reflexão sobre pais, filhos, família, estudo, trabalho e coisas assim. Quem tem filhos e filhas adolescentes entenderá cada linha desta postagem. E os adolescentes que têm pais jovens (na linha dos 40 e tantos) também devem ler com atenção esses simples, mas valiosos conselhos. Quer dizer, não sei se se trata de conselhos, afinal tenho apenas 46, todavia creio que o que for mencionado aqui servirá de apoio, reflexão ou quem sabe até mudança de atitudes e salvação de vidas.

Você, prezado adolescente, jovem pra frente, moderno, atual, atualíssimo. Você da Geração Y, do Iphone, do WhatsApp, do Wi-Fi, do ENEM e da Internet. Ei, olhe para você! Olhe para seu pai! Olhe para sua mãe! Quer queira ou não, um é o espelho do outro. A genética é inegável. Há uma hierarquia a ser seguida. Um tempo a se cumprir. Uma vida a se viver. Afinal de contas a vida é feita das oportunidades que aparecem e das escolhas que fazemos. No entanto é necessário estar preparado(a) para assumir responsabilidades. Os pais já estão fazendo a sua parte em relação ao futuro dos seus filhos: esforçam-se, preocupam-se e fazem o máximo possível para que a prole tenha uma vida diferente das suas.

A todo o momento eles acenam: um pouco de atenção, por favor. Às vezes não têm. Onde está a consciência dos nossos jovens? Até acho que os pais são compreensivos. Entendem a realidade. Sabem comparar e entendem que também passaram por essa fase. Se os tempos eram outros eles já se foram e nada será igual. Uma geração se foi, uma está aí e outra virá. O ideal seria que os filhos nos escutassem, no entanto é mais fácil contar os segredos aos amigos mais chegados do que àqueles que os trouxeram ao mundo. Felizes os que têm a oportunidade de ouvir os conselhos do pai ou da mãe.

Meus pais, seus pais, nossos pais trazem consigo a experiência da vida. Muitos não frequentaram as bancas das escolas; precisaram ir à luta cedo. Largaram os estudos quando deveriam estar iniciando. Trocaram livros e cadernos pelo trabalho ora pesado, ora estafante. Não tiveram escolhas, ou se tiveram só havia duas opções: estudo ou trabalho. Não puderam escolher entre cursar Medicina ou Agronomia em uma universidade pública ou particular. Constituíram famílias. O bebê que ontem chorava no berço e engatinhava pela casa, hoje se prepara para entrar em uma universidade. O foco mudou. A responsabilidade aumentou. Há urgência em (re)organizar algumas coisas. Os filhos cresceram. E apareceram. Apareceram para a vida. E agora? Como precisam de nós. Sempre serão crianças. Meu menino ou minha menina já tem bigode e menstruação.

Aos pais:

Sejamos tardios em irar-se e grandes em beneficência e verdade (Livro do Êxodo, 34:6). Obviamente que nossa dedicação não mudou, afinal não existe ex-pai nem ex-mãe, muito menos ex-filhos ou ex-filhas. Não podemos mais voltar atrás. Eles e elas estão à nossa frente e o futuro deles também. Cabe-nos a obrigação de orientá-los, ajudá-los, exortá-los e acima de tudo amá-los. E esse amor fará toda a diferença. A família, os valores, o respeito se sobressairão e por fim poderemos nos sentir com a consciência do dever cumprido. Se algo não der certo sempre haverá a chance de um recomeço. Recomeço esse que pode ser ainda mais promissor, pois cada parte irá refletir sobre seus deslizes.

Aos filhos:

Sede obediente a vossos pais, pois isto é justo. Honra a teu pai e a tua mãe... para que te vá bem e vivas muito tempo sobre a terra (Apóstolo Paulo, In Carta aos Efésios, 6:1-3). Quer viver muito? Quer que se prolonguem os seus dias neste planeta? Respeite, honre, defenda com a vida seus pais. Ame-os acima de tudo e acima de todos neste mundo. Não os entristeçam. Procure fazer sempre o melhor, para você e para eles. Por mais ignorantes que possam parecer tenha certeza de uma coisa: haverá sempre um ponto de orgulho a cada vitória conquistada por você.

Tudo, mas tudo mesmo que você for na vida, desde o mais graduado desembargador do Supremo Tribunal Federal, que tem o poder de julgar um presidente da República; ou um simples varredor de rua, será um reflexo da sua criação. Não esqueça suas origens. Respeite os mais velhos. Ame as crianças. Adote um gato, um cachorro, uma tartaruga, um coelho, um iguana. Tenha uma religião, pois quando algo aqui na terra parecer impossível, você terá uma força sobrenatural para se apoiar. Estude, estude e estude. Pois o conhecimento será o único bem que você levará quando deixar esta vida. Este lhe será companheiro na sua jornada e ajudará você a conquistar seus sonhos, seus objetivos e ser feliz.


“Que a família comece e termine sabendo onde vai
E que o homem carregue nos ombros a graça de um pai
Que a mulher seja um céu de ternura, aconchego e calor
E que os filhos conheçam a força que brota do amor.”
(Padre Zezinho)





0 comentários:

Postar um comentário

LEIA AGORA NO VICENCIANET.
Todo mundo gosta. Todo o mundo acessa.