domingo, 27 de julho de 2014

ALUÍSIO LESSA: CAMPANHA SEM PADRINHO-MOR

MESMO SEM TANTA VISIBILIDADE DEPUTADO PODE SER MAJORITÁRIO EM VICÊNCIA

José Aluísio Lessa da Silva Filho tem 56 anos e é natural de Palmares na Mata Sul. Possui curso superior completo e declarou um patrimônio de R$ 695.224,30. A estimativa de gastos para a campanha é de 3 milhões de reais. Concorre à reeleição pelo PSB com o número 40777.*

Aluísio Lessa foi transformado em deputado pelo ex-governador Eduardo Campos. Colocado para ser articulador político na Mata Norte, teve sua candidatura abençoada pelo líder socialista. Com uma base forte em sua cidade natal (Palmares), Lessa se elegeu facilmente em 2010 e compõe a bancada governista na ALEPE, com uma atuação não muito pomposa.

Em Vicência tem o apoio do prefeito Paulo Tadeu (PSB) e uma leva de aliados, condicionados a apoiar o parlamentar. Durante os quatro anos de mandato não há uma obra ou emenda de alta complexidade advinda de Aluísio Lessa para o município. Um encaminhamento de verba aqui, um calçamento ali e só. O fato é que mesmo com a máquina na mão o executivo vicenciano consegui apenas dar a quarta colocação ao parlamentar na eleição passada. Ele obteve 1.528 votos, ficando atrás de Botafogo Filho (1.616), Gustavo Negromonte (1.618) e Carlos Lapa (2.300). Vale lembrar que em 2010, Botafogo Filho (PDT) e Gustavo Negromonte (PMDB), foram apoiados por Bidoga e Mário Ramos, respectivamente, ambos sem mandatos políticos na época.

Em 2014, Lessa não terá Eduardo Campos como cabo eleitoral direto. A campanha presidencial já está consumindo a maior parte do tempo do ex-governador. Por isso ele não perdeu tempo e desde a convenção do partido colocou o bloco na rua.

Apesar disto o clima pode ser favorável a Lessa em Vicência. A multidivisão dos votos proporcionais deve beneficiar o socialista. Junte-se a isso a inexistência de uma oposição unificada (fato comum na grande maioria das cidades pernambucanas). Se houver um esforço conjunto e uma dedicação das secretarias, especialmente Educação e Assistência Social, o candidato deve sair com uma boa quantidade de votos. Esses departamentos absorvem um número muito grande de funcionários contratados e, se se repetir o que houve na eleição municipal, estes serão "orientados" a digitarem o voto no candidato do prefeito, no que, obviamente, devem ser seguidos pelos seus familiares.

Se conseguir manter as bases anteriores no estado, Aluísio Lessa pode até pensar em reeleição, apesar da briga de foice dentro da própria coligação. É uma pessoa de boa índole, educada e que saberá o que fazer para conquistar o voto dos vicencianos. 

Certamente o parlamentar não quererá em Vicência, imitar a Seleção Brasileira, amargando um vergonhoso quarto lugar novamente.

*Fonte: TSE




0 comentários:

Postar um comentário

LEIA AGORA NO VICENCIANET.
Todo mundo gosta. Todo o mundo acessa.