terça-feira, 15 de outubro de 2013

CASAIS FAZEM MENOS SEXO ÀS TERÇAS-FEIRAS, DIZ ESTUDO

Você sabia que usar apelidos nas redes sociais atrai mais pretendentes? Ou que a boca é a parte mais atraente do corpo? E quem faz mais sexo ganha mais dinheiro? Ou ainda que nos apaixonamos apenas duas vezes na vida? E que sonhos sobre traição mostram o futuro do relacionamento? As conclusões podem soar curiosas e fazem parte de estudos e pesquisas divulgadas por fontes diversas. Mas, mesmo estranhas, essas conclusões podem ajudar sua vida sentimental e, por que não, até mesmo sua vida sexual.

No que toca ao sexo, por exemplo, uma das pesquisas afirma que o interesse sexual diminui após um ano de namoro. Os dados, realizados pela empresa "Lloydspharmacy Online Doctor", mostraram que 15% dos casais mantêm relações sexuais todos os dias no primeiro ano de relacionamento, mas, após esse período, a frequência é mantida por apenas 5% dos parceiros. O dado pode servir de alerta para você não deixar com que a libido na relação se apague e aproveitar ainda táticas para reacender o sexo a dois. A pesquisa foi divulgada no site britânico "Daily Mail" em julho de 2013.

Outra pesquisa curiosa é que terça-feira é o dia da semana onde os casais têm mais preguiça de fazer sexo. Isso segundo uma pesquisa feita pela empresa inglesa de artigos eróticos "Lovehoney" e divulgada em março de 2013 pelo "Daily Mail". Além disso, a boca é considerada a parte mais atraente do corpo para homens e mulheres segundo estudos realizados por neurocientistas da Universidade Bangor, na Inglaterra, e de Witwatersrand, na África do Sul.

Mas se sua vida sentimental estiver pelas tabelas porque vive brigando sobre dinheiro no relacionamento, saiba que brigar por grana é o maior motivador de divórcio. A afirmação é de um estudo que acompanhou 4,5 mil casais por vários anos. A pesquisa foi feita pela "Kansas State University" e publicada em julho de 2012 também no mesmo site britânico.

0 comentários:

Postar um comentário

LEIA AGORA NO VICENCIANET.
Todo mundo gosta. Todo o mundo acessa.