terça-feira, 25 de junho de 2013

ARMANDO MONTEIRO SAI NA FRENTE EM PESQUISA PARA GOVERNO DE PERNAMBUCO


José Múcio, a quem Eduardo poderia recorrer, tem apenas 2,7%
jm

No cenário em que o candidato do PSB a governador de Pernambuco é o ministro do Tribunal de Contas da União, José Múcio Monteiro, este aparece com 2,7% das intenções de voto contra 23,4% de Armando Monteiro Neto (PTB), que se mantém na dianteira, seguido pelo deputado João Paulo, com 21,7%.
Em seguida aparece Lula Cabral (PSC) com 9,1%, João Lyra Neto (PDT) com 5,7% e Júlio Lóssio, do PMDB, com 2,9%. José Múcio, que hoje está ocupando um cargo vitalício no TCU, é ventilado como uma carta na manga do governador Eduardo Campos para neutralizar a candidatura de Armando e tentar aglutinar a Frente Popular.
Múcio tem seu maior percentual entre os eleitores acima de 60 anos (4%) e o menor entre os que ganham acima de dez salários (1,1%). Armando e João Paulo mantém praticamente os mesmos percentuais nos diversos segmentos pesquisados. Por região, José Múcio aparece melhor situado no Vale do São Francisco, com 7,5% e o menor na Zona da Mata, com 1,3%. Na Região Metropolitana tem 2,7% das intenções de voto.

O Instituto Opinião testou quatro cenários para governador de Pernambuco. Neste cenário, em que o ministro Fernando Bezerra é trocado pelo secretário da Casa Civil, Tadeu Alencar, o senador Armando Monteiro Neto (PTB) se mantém na liderança e ganha mais um ponto, passando de 23,1% para 24,1%.

João Paulo se mantém em segundo lugar, mas cai de 21,7% para 21,5%, o que está dentro da margem de erro. Lula Cabra (PSC) sobe de 8,6% para 9,5%. Já o candidato do PDT, João Lyra Neto, que tinha 5,1% no primeiro cenário, sobe para 5,4%. Júlio Lóssio, do PMDB, sobe de 2,5% para 3%. E Tadeu Alencar, que seria a primeira opção caseira do governador, aparece apenas com 1,5%.

Armando continua bem entre os que têm renda acima de dez salários mínimos, entre os com grau de instrução superior e entre os eleitores na faixa etária de 25 a 34 anos, praticamente os mesmos percentuais do primeiro cenário, o mesmo se repetindo com o pré-candidato do PT, João Paulo.

Já Tadeu Alencar só consegue passar da casa dos 2,5% entre os eleitores jovens na faixa etária de 16 a 24 anos. Nos demais segmentos, ele varia de 0,6% a 1,3%. Por região, ele tem a maior taxa no Sertão (3,5%) e a menor na Zona da Mata (1%).

No Sertão, Armando cresce apenas no São Francisco de 11,3% para 15,8% e se mantém com os mesmos percentuais nas demais regiões. João Paulo, por sua vez, cresce um ponto no São Francisco, cai um ponto no Agreste e se mantém com os mesmo percentuais nas demais regiões pesquisadas.

METODOLOGIA - Foram realizadas duas mil entrevistas em 80 municípios de Pernambuco divididos proporcionalmente na Região Metropolitana, Zona da Mata, Agreste, Sertões do Pajeú, Moxotó, Alto Sertão, Sertão de Itaparica e Sertão do São Francisco. O intervalo de confiança estimado é de 95,5% e a margem de erro máxima estimada é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra.

A modalidade de pesquisa adotada envolveu a técnica de Survey, que consiste na aplicação de questionários estruturados e padronizados a uma amostra representativa do universo de investigação. Foram realizadas entrevistas pessoais e domiciliares.
gdez gde

0 comentários:

Postar um comentário

LEIA AGORA NO VICENCIANET.
Todo mundo gosta. Todo o mundo acessa.