sexta-feira, 22 de maio de 2009

EDITORIAL


A CIDADE DE VICÊNCIA FOI PALCO ESTA SEMANA DE DOIS FATOS QUE CHAMARAM A ATENÇÃO DA POPULAÇÃO.
O PRIMEIRO FOI A REJEIÇÃO DE QUATRO REQUERIMENTOS APRESENTADOS PELOS VEREADORES ROMEU E CAROCA, SOLICITANDO DO EXECUTIVO, RELATÓRIOS COM NOMES DE CONTRATADOS, CARROS LOCADOS, CASAS ALUGADAS E REVELAÇÃO DE ONDE ESTARIA SENDO COMPRADA A MERENDA ESCOLAR DISTRIBUÍDA COM OS ALUNOS DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO. CLASSIFICO A ATITUDE DOS VEREADORES QUE VOTARAM CONTRA OS REQUERIMENTOS (QUE LOGICA E VISIVELMENTE FORAM ORIENTADOS PARA ASSIM O FAZEREM), DE UMA REPRESÁLIA OU ATÉ MESMO VINGANÇA CONTRA O VEREADOR ROMEU POR TER SE DESVENCILHADO DA BASE GOVERNISTA.
TALVEZ ATÉ NÃO HAJA MÁ FÉ NA RETENÇÃO DAS INFORMAÇÕES, MUITO EMBORA, ADMITAMOS, SEJA INEGÁVEL O GRANDE NÚMERO DE PESSOAS INCHANDO AINDA MAIS OS SETORES PÚBLICOS DA NOSSA CIDADE.
É... O VEREADOR ROMEU PERDEU A PRIMEIRA... E ASSIM COMO ELE SEMPRE AVISA QUE VEM CHUMBO GROSSO POR AÍ, O OUTRO LADO TAMBÉM DEMONSTRA ESTAR PREPARADO PARA A GUERRA. NO ENTANTO, TODO CUIDADO É POUCO POR PARTE DA PREFEITURA QUANDO DO ENVIO DE PROJETOS À CÂMARA, POIS A OPOSIÇÃO, QUE ANTES SÓ CONTAVA COM UM SOLITÁRIO INTEGRANTE, AGORA TEM TRÊS DECLARADOS E UM SIMPATIZANTE. AO QUE APRECE, A PARTIR DE AGORA, OS PROJETOS POLÊMICOS SERÃO DECIDIDOS PELO VOTO DE MINERVA DO PRESIDENTE.
O OUTRO FATO DE DESTAQUE FOI O SUBSTANCIAL AUMENTO DADO AOS PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL. NENHUM PROFESSOR EFETIVO DE VICÊNCIA RECEBERÁ MENOS DE 850 REAIS. O REAJUSTE FOI DE CERCA DE 52,11% PARA OS PROFESSORES DO FUNDAMENTAL I (ANTIGO PRIMÁRIO, 1ª A 4ª SÉRIE). ESSE PERCENTUAL CONTEMPLA APENAS UMA PARTE DO PROFESSORADO QUE A CADA DIA TEM BUSCADO SE ESPECIALIZAR NOS DIVERSOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO ESPALHADOS PELO PAÍS. PROVA É QUE GRANDE PARTE DOS PROFESSORES E PROFESSORAS QUE ENSINAM O ANTIGO PRIMÁRIO JÁ POSSUEM CURSO SUPERIOR.
O PISO SALARIAL DE 950 REAIS ESTABELECIDO PELO GOVERNO FEDERAL, DEVE SER IMPLEMENTADO ATÉ O FINAL DO ANO PELAS CIDADES E ESTADOS QUE AINDA NÃO ESTAO PAGANDO ESTE VALOR. VALE LEMBRAR QUE O BRASIL É UM DOS PAÍSES QUE MENOS VALORIZA OS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO NA QUESTÃO SALARIAL E O ESTADO DE PERNAMBUCO OSTENTOU ATÉ O ANO PASSADO O TROFÉU DE PIOR SALÁRIO DA NAÇÃO.
PARA SE TER UMA IDEIA, A DIFERENÇA DE UMA HORA/AULA DE UM PROFESSOR COM GRADUAÇÃO PARA QUEM TEM ESPECIALIZAÇÃO AQUI EM VICÊNCIA É DE 0,25 (VINTE E CINCO CENTAVOS).
CREIO QUE NÃO SERIA PRECISO TANTA LUTA, CONFUSÃO, PERSEGUIÇÃO, AMEAÇA DE GREVE PARA QUE TAL ATO FOSSE CONCRETIZADO. SE HOUVESSE BOA VONTADE DOS GESTORES PÚBLICOS NADA DISSO TERIA ACONTECIDO. SE ANTES NÃO HAVIA RECURSOS PARA SE DAR AUMENTO, POR QUE DE REPENTE É COLOCADO CARRO DE SOM NAS RUAS BRADANDO AOS QUATRO CANTOS QUE FOI DADO O MAIOR AUMENTO DA HISTÓRIA PARA OS PROFESSORES?
OS PROFESSORES E PROFESSORAS VICENCIANOS BUSCARAM SE ESPECIALIZAR, CONTINUAR SEUS ESTUDOS E ADQUIRIR MAIS CONHECIMENTOS. NÃO TEMOS DADOS CONCRETOS MAS QUASE A METADE DOS DOCENTES DE VICÊNCIA TERMINARAM OU ESTÃO CURSANDO A PÓS-GRADUAÇÃO; E ESTES SÓ TIVERAM 18,82% DE AUMENTO.
A LUTA É NACIONAL, HISTÓRICA E MUITO PENOSA. O SALÁRIO DO PROFESSOR É MUITO BAIXO EM RELAÇÃO A OUTRAS CATEGORIAS E PARECE QUE ALGUNS GOVERNANTES ESTÃO QUERENDO USAR O PISO DO VERBO PISAR, SINÔNIMO DE ACHATAR, REBENTAR, TRATAR COM DESPREZO MUITOS INTEGRANTES DA CATEGORIA.
Assinado: Samuel de Santana Cazumbá - RG 3882870
Pseudo-radialista e professor das redes municipal e estadual

quarta-feira, 20 de maio de 2009

CINCO A QUATRO


Pela primeira vez após ter deixado de fazer parte do atual governo municipal e tornado-se oposição, o vereador Romeu do Povo provou do seu próprio veneno. Na última reunião dos vereadores (19-05-2009), o vereador, junto com o companheiro Caroca, teve seus requerimentos rejeitados por cinco votos a quatro.
Como primeira medida como oposição, Romeu solicitou através de requerimento ao poder executivo uma lista com todos os automóveis locados à prefeitura, bem como das casas alugadas. Em outro requerimento, o vereador solicitava o nome do fornecedor e mais informações sobre a compra da merenda escolar. Já o vereador Caroca, apresentou requerimento solicitando a relação com os nomes de todos os cargos comissionados com seus respectivos vencimentos.
Após a rejeição do primeiro requerimento por cinco votos a quatro (Com o empate entre os votantes o presidente desempatou votando contra o requerimento), iniciou-se uma ardilosa discussão entre os representantes do povo. Na ocasião, o vereador Romeu exaltou-se ao extremo, levantou a voz, xingou o presidente, bateu na mesa e condenou veementemente a atitude dos demais que votaram contra. O vereador Caroca, também se expressou com intrepidez dizendo haver “maracutaias e favorecimentos” pela tomada de decisão dos demais colegas.
“Com que cara vocês enfrentarão o povo amanhã na rua?” Indagava o vereador Romeu, citando nominalmente os demais colegas. A discussão prolongou-se até o final da reunião, quando o próprio vereador junto com Caroca e recebendo o apoio do representante borrachense Antônio Siri, saiu gritando palavras de ordem e dizendo que iria providenciar imediatamente um ofício à promotoria pública para o atendimento de seu pedido.
A opinião pública estranhou a atitude da atual administração diante da negativa das informações solicitadas, já que, segundo alguns populares que não quiseram se identificar, em outras gestões tudo transcorria na mais absoluta transparência.
Os vereadores que acompanharam Romeu e Caroca na votação a favor dos requerimentos foram JÂNIO e ANTÔNIO SIRI, enquanto que MOISÉIS, FRANCISCO, JOSENILDO e INALDO, votaram contra fazendo assim quatro a quatro. Conforme citamos anteriormente o presidente André Cesário optou pela rejeição e os requerimentos foram arquivados sem aprovação.

quinta-feira, 14 de maio de 2009

quinta-feira, 7 de maio de 2009

terça-feira, 5 de maio de 2009

CÂMARA MANTÉM DECISÃO DO TCE E AMAURY SE COMPLICA


Em reunião tumultuadíssima os vereadores de Vicência acataram o parecer do Tribunal de Contas do Estado que rejeitou as contas do ex-prefeito Amaury Pedrosa. Na realidade só três dos nove vereadores votaram a favor do parecer: Romeu, Jânio e Caroca. Com a abstenção do vereador Siri, restaram apenas cinco votos para que o ex-prefeito pudesse se livrar do processo, seriam necessários seis, mesmo contando com o voto de minerva do presidente, ou seja, 2/3 dos votos.
A reunião foi marcada por várias paralizações ocorridas durante a fala do vereador Romeu do Povo. Durante o seu discurso ele foi interrompido várias vezes por um grupo de pessoas advindas do povoado de Trigueiros que por vários momentos causaram tumulto na assembléia. Duarante a sua fala, Romeu até incitou o "seu pessoal" a atacar o grupo trigueirense caso eles continuassem interrompendo seu discurso. Os â nimos ficaram bastante acirrados e o presidente André Casário suspendeu a reunião até a chegada de reforço policial com os policias do GATI.
Em seu discurso o vereador Romeu fez alusão aos problemas no final da administração do ex-prefeito Amaury, acusando-o, inclusive, de desvios de verbas públicas. Aproveitou para criticar o atual prefeito, Dr. Paulo, afirmando que a partir de agora ele tornou-se uma pessoa "indecente e sem ética". Nesse momento o presidente André Cesário pediu ao vereador que contivesse um pouco as palavras e que era uma falta de decoro parlamentar falar da vida pessoal de alguém. O fereador Romeu não se intimidou, rebateu as críticas do presidente e continuou os ataques ao prefeito, dizendo que o mesmo já estava com sua imagem bastante desgastada. Ainda insinuou que o vereador Moiséis mudou o voto por pressão de integrantes da diretoria da Usina Laranjeiras, ligados ao deputado Armando Monteiro(PTB-PE). Foi bastante enfático quando repetiu o que citara em um programa de rádio, que havia recebido uma proposta de 7.500,00 para votar contra o parecer do Tribunal.
De todos os vereadores o discurso mais aguardado era o do vereador Moiséis, que iniciou dizendo que o elitor deve sempre ser o juiz do candidato. Disse que usou da emoção para se pronunciar na reunião anterior e que seria injusto chegar na reunião decisiva e mudar de opinião sem um aviso prévio. Por isso que primeiramente procurou o vereador Romeu para comunicar a sua mudança de opinião e em seguida telefonou para a emissora de rádio local para dar a notícia. O vereador citou o discurso do "colega" Irmão Francisco que,segundo ele, tirou algumas de suas dúvidas e que também analisou o trabalho que o ex-prefeito Amaury fez durante suas administrações e o "lado bom" pesava mais. O vereador Romeu pediu um aparte e insistiu que ele(Moiséis) havia sido pressionado por integrantes do PTB e da Usina Laranjeiras, fala que o vereador rebateu veementemente, defendendo a empresa na qual trabalha, segundo ele, desde onze anos de idade e do grande serviço que a usina junto com a prefeitura presta ao município.
O vereador Jânio disse que o foco da reunião estava sendo deixado de lado, pois o que estava sendo julgado era o parecer do Tribunal de Contas sobre a administração Amaury Pedrosa e não o governo Paulo Tadeu. Disse que apesar do histórico do ex-prefeito o TCE é justo e que a sua decisão em votar a favor do parecer estava mantida.
Estava então a expectativa gerada para a votação. Os três vereadores que abertamente disseram apoiar a decisão do Tribunal sendo, portanto, contra o ex-prefeito Amaury Pedrosa, mantiveram seus votos e levantaram-se dando os seus votos a favor do parecer do TCE, incriminando Amaury. Sobravam então seis votos, que seriam justamette necessários para absolver o ex-prefeito da suposta condenação do TCE, ou seja, dois terços dos votos da Câmara. Então o vereador Antônio Siri, um dos representantes do povoado de Borracha, pediu o microfone e disse que abstinha-se de votar o que resultou na aprovação do parecer do Tribunal de Contas e na primeira derrota do executivo municipal, que mesmo com todas as articulações não conseguiu reverter o quadro.
Agora é esperar o desenrolar dos fatos e agaurdar o que pode acontecer daqui por diante.
Perguntado pela reportagem da Vicência FM/VICENCIANET, se temia represália devido a sua decisão de abstenção, o vereador Antônio Siri, disse que a decisão depende dos integrantes do poder executivo, mas mesmo assim estaria pronto a apoiar o prefeito naquilo que fosse necessário. Disse ainda que tomou uma decisão consciente e acha que foi a melhor.
O vereador Francisco classificou a atitude do vereador como infeliz, mas disse que cada um é livre para escolher o seu voto.

segunda-feira, 4 de maio de 2009

NOTA DE ESCLARECIMENTO

NA ÚLTIMA ASSEMBLÉIA DOS PROFESSORES MUNICIPAIS DE VICÊNCIA, REALIZADA NA ESCOLA MUNICIPAL LUIZ MARANHÃO, NO DIA 29 DE ABRIL DE 2009 O EDITOR DESTE BLOG, PROFESSOR SAMUEL DE SANTANA CAZUMBÁ, DEVIDAMENTE LOTADO NA ESCOLA JOSÉ RUFINO NO POVOADO BORRACHA, FUNCIONÁRIO CONCURSADO DA PREFEITURA MUNICIPAL DE VICÊNCIA A 6 ANOS E QUE TAMBÉM PRESTA SERVIÇOS VOLUNTÁRIOS À RÁDIO VICÊNCIA FM FOI AMEAÇADO POR INTEGRANTES DO SINPRO (Sindicato dos Professores(?)) POR TER COLOCADO NO AR, NO PROGRAMA BOM DIA VICÊNCIA MATÉRIA REFERENTE À REUNIÃO. ISTO POSTO, O MESMO VEM DE PÚBLICO ESCLARECER:
a) EM NENHUM MOMENTO FOI REPASSADO QUALQUER DETALHE DOS ASSUNTOS QUE ESTAVAM SENDO DISCUTIDOS NA ASSEMBLÉIA;
b) A NOTÍCIA FOI VEICULADA ANTES DO TÉRMINO DA REUNIÃO POIS FALTAVAM APENAS 10 MINUTOS PARA ENCERRAR O PROGRAMA "BOM DIA VICÊNCIA" E EM SEGUIDA, COMO DE COSTUME, FARÍAMOS AS ENTREVISTAS COM OS REPRESENTANTES DO SINDICATO, COMO SEMPRE TRABALHAMOS;
c) É ABSOLUTAMENTE MENTIROSA A AFIRMAÇÃO ESPALHADA PELA CIDADE QUE A REUNIÃO ESTAVA SENDO GRAVADA. NÃO HAVIA MOTIVO NEM EQUIPAMENTO PARA TAL ATO. REPETIMOS: EM NENHUM MOMENTO FOI COGITADA A GRAVAÇÃO DE NENHUMA PARTE DA ASSEMBLÉIA POR MEIO DE GRAVADOR, CELULAR, MP3, MP4, CÂMARA DIGITAL, FILMADORA OU QUAISQUER RECURSOS DE GRAVAÇÃO DE VOZ.
d) O MICROFONE SEM FIO UTILIZADO DURANTE AS FALAS FOI CONSEGUIDO POR ESTE PROFESSOR JUNTO À RÁDIO VICÊNCIA FM A FIM DE DAR MAIS AGILIDADE ÀS FALAS E O MESMO NÃO DISPÕE DE NENHUM RECURSO DE GRAVAÇÃO, SERVINDO APENAS PARA TRANSMISSÃO DE VOZ;
e) NA MATÉRIA VEICULADA NA RÁDIO, DISSEMOS APENAS QUE OS PROFESSORES ESTAVAM REUNIDOS NA ESCOLA LUIZ MARANHÃO, QUE O PREFEITO TINHA ACABADO DE FALAR, QUE A SECRETÁRIA DE EDUCAÇÃO ESTAVA USANDO DA FALA E QUE O PRINNCIPAL PONTO DE DISCUSSÃO QUE ERA A QUESTÃO SALARIAL NÃO HAVIA CHEGADO A NENHUM ACORDO, JÁ QUE NÃO HOUVE NENHUMA PROPOSTA DE AUMENTO POR PARTE DA PREFEITURA.
A POPULAÇÃO, PRINCIPALMENTE A COMUNIDADE ESCOLAR, TEM O DIREITO DE SABER TUDO QUE ESTÁ ACONTECENDO EM SUA CIDADE. E A RÁDIO COMUNITÁRIA DEVE CUMPRIR O SEU VERDADEIRO PAPEL DE INFORMAR. NÃO TEMOS NENHUMA FORMAÇÃO JORNALÍSTICA, COMO A GRANDE MAIORIA DOS QUE TRABALHAM EM RÁDIOS COMUNITÁRIAS, MAS NOS SENTIMOS NO DEVER DE TRANSMITIR OS EVENTOS QUE MOVIMENTAM A CIDADE.
É DE LAMENTAR, QUE ALGUNS PROFESSORES, AO INVÉS DE SE UNIREM EM BUSCA DOS SEUS IDEAIS (NO CASO A IMPLANTAÇÃO DO PISO NACIONAL NO VALOR MÍNIMO DE 950 REAIS) QUEIRAM IMPEDIR O TRABALHO LIVRE DA IMPRENSA E ATÉ AMEACEM PROCESSAR OU MANDAR PRENDER UM INTEGRANTE DESTA CLASSE TÃO DESVALORIZADA.
REGISTRE-SE O NOSSO REPÚDIO A TAL ATO DE PREPOTÊNCIA E TENTATIVA DE USO DA EXTINTA "LEI DA MORDAÇA"!
ASSINADO: Samuel de Santana Cazumbá - Identidade nº 3882870 - Matrícula na Prefeitura Municipal de Vicência nº 1211

sábado, 2 de maio de 2009

CÂMARA: DIFÍCIL DECISÃO


Mais uma vez os vereadores têm suas atuações colocadas em xeque. O parecer do Tribunal de Contas do Estado que rejeitou as contas do ex-prefeito Amaury Pedrosa cria um abismo entre o céu e o inferno para alguns vereadores. A última reunião foi marcada por discursos inflamados ou conscientes sobre o assunto.
O vereador Caroca dise que se o ex-prefeito for absolvido "será mais uma vergonha para a Casa" e ainda apelou aos colegas que acompanhassem a decisão do TCE. Como oposição, está fazendo apenas o seu papel.
Em seguida o vereador Jânio, que teoricamente faz parte da base aliada, deixou claro que votaria a favor do parecer do Tribunal de Contas (Portanto contra o secretário Amaury), pois lembrava-se perfeitamente do "desespero" vivido pela população no final da administração do ex-prefeito. "O que está sendo julgado não é a pessoa de Amary Pedrosa, mas as suas contas. Portanto cabe a cada vereador apoiar o parecer do Tribunal", afirmou. Disse não temer represálias e que quer sempre andar de cabeça erguida perante a sociedade.
O vereador Romeu disse sentir-se realizado por tudo que fizera e parabenizou Jânio por suas palavras. Diante de uma platéia calorosa expôs os motivos do seu desligamento do governo (vide postagem abaixo) e informou que estará criticando veementemente as falhas da atual administração.
O vereador Moiséis disse que faria o que a consciência mandasse e que seguiria sempre as orinetações do Tribunal de Contas, sempre que o mesmo enviasse esse tipo de documento para a Câmara: "Tá certo que o ex-prefeito tem vários serviços prestados no município, mas por uma questão de princípios votarei no parecer do tribunal", enfatizou. NA QUARTA-FEIRA, MENOS DE 24 HORAS DEPOIS DA REUNIÃO, O VEREADOR LIGOU PARA O LOCUTOR AURÍLIO SANTOS DA RÁDIO VICÊNCIA FM INFORMANDO QUE HAVIA MUDADO DE OPINIÃO E VOTARIA CONTRA O PARECER DO TRIBUNAL, BENEFICIANDO O EX-PREFEITO AMAURY PEDROSA. Procurado pelo editor deste blog, Moiséis disse apenas que estava consciente da decisão tomada e que na próxima reunião exporia sua mudança de voto à comunidade.
O vereador Francisco foi o único a defender na Tribuna o ex-prefeito Amaury. Disse ter acompanhado de perto a questão em foco e que o ex-prefeito foi vítima de um erro administrativo no tocante a verbas vindas para construção de barragens no município. "Todos os prefeitos tiveram problemas com o Tribunal de Contas, mas não significa que todos roubem", afirmou no discurso. O vereador citou os serviços prestados pelo atual secretário de governo e disse estranhar o fato de o TCE só ter mandado o parecer agora se o mesmo estava pronto desde 2007.
Segundo o vereador Romeu, o parecer estava durante esse tempo tramitando na justiça devido ao ex-prefeito Amaury Pedrosa ter recorrido da sentença.
A matéria só entrará em votação na reunião do dia 05 de maio, pois antes passará pelas comissões.

ACABOU A BOQUINHA! AGORA É BOCADA!


Durou muito pouco tempo a atuação do vereador "Romeu do Povo" como líder do governo e aliado do prefeito Paulo Tadeu. A sexta-feira, dia 24 de abril do corrente ano vai ficar marcada como o dia do rompimento da aliança que durou menos de quatro meses.
O motivo do rompimento foi o parecer do Tribunal de Contas do estado rejeitando as contas do ex-prefeito Amaury Pedrosa em sua última administração entre 1992 a 1996. O parecer do TCE funcionou apenas como gota d'água para que Romeu abandonasse a atual administração, pois o mesmo não mantinha um bom relacionamento com o atual secretário de governo, no caso, Amaury Pedrosa.
Além de procurar a imprensa local para expor publicamente que a partir de agora fará oposição a atual administração, o vereador em seu discurso na reunião da Câmara, fez várias denúncias contra integrantes do governo e disse ter "voltado para o seu lugar de oposição". Segundo ele, continua acreditando na honestidade do prefeito, mas não coaduna com os atos praticados por Amaury Pedrosa.
O vereador conseguiu "parar" a cidade por quase duas horas quando participou de um programa de rádio, no qual além de explicar os motivos do seu afastamento do governo, foi sabatinado e/ou elogiado pelos ouvintes.
No dia seguinte à reunião dos vereadores a secretária de Urbanismo Telma Ataíde, mulher do vereador, foi demitida do cargo.